Deus é o Grão de poeira

Não sou estudante de religião em nenhum centro de ensino (infelizmente), por essa razão meu conhecimento sobre coisas voltadas a Deus e religião é muito mais intuitivo que literal.

Dentro deste meu conhecimento limitadíssimo fui desafiado por três amigos de explicar a seguinte dúvida; Se Deus existe porque ninguém nunca o viu? E se não o vemos como nos relacionamos com ele?

Cada um desses amigos tem uma particularidade. Um é católico, outro de família protestante, e o mais novo livre pensador. Procurei em volta algo que pudesse usar como instrumento de reflexão para esta reposta dentro do MEU ENTENDIMENTO.

O local onde estávamos continha apenas uma televisão, um DVD e uma caixa de filmes. Dentro desta caixa tinha um filme de animação infantil que já havia assistido com meu sobrinho. Horton e o mundo dos Quem!

Utilizei-me propositalmente a história do filme como meu instrumento pedagógico.
O filme conta a história de Horton um elefante que por acaso descobre que há vida num grão de poeira, quando essa pequena partícula passa flutuando perto das suas orelhonas aguçadas. 
Horton imediatamente espalha a notícia de que há um mundo microscópico no pequeno grão e para protegê-lo ele o coloca sobre uma flor. Desacreditado por toda a floresta em que vive, o paquiderme coloca-se à disposição dos habitantes do grão os moradores da cidade de Quem-Lândia.

A epígrafe do filme é "mesmo que você não possa ver ou provar algo não significa que não existe"

Terminado o filme o rapaz de família protestante já quis discorrer em matéria teológica o filme (teologizar). Ele disse: “Os moradores de Quem-Lândia somos nós, o grão de poeira onde vivem é a terra, e o elefante que se coloca à disposição dos habitantes do grão é Deus”.
Essa postura também agradou o meu amigo católico, e acredito que a maioria dos cristãos crêem assim.

Quase todo mundo que eu conheço crê que Deus está sentado em um trono em “seu” universo, sustentando tudo. E nós aqui da terra nos relacionamos com ele. 
Assim como o povo de Quem-lândia se relaciona de dentro do grão de poeira com o elefante Horton confiando em sua bondade para que seu mundo fosse salvo.

Em nossa experiência religiosa Deus é tido como um ser que existe fora do mundo ou como o mais importante ser dentro do mundo.

O povo de Quem-Lândia, mas especificamente o prefeito Ned mediador dos diálogos, acreditava que a salvação do seu mundo acorreria através das mãos, ou melhor, da tromba de Horton. Um ser desconhecido e invisível para os Quem.
Horton também não enxergava o povo Quem, devido ao seu tamanho microscópio, só os ouvia. Semelhantemente o povo de Quem-Lândia não enxergava Horton afinal, o que é um elefante para seres que vivem em um mundo do tamanho de um grão de poeira?

Pra mim, usando o filme como ilustração, Deus não é o elefante Horton com quem o povo de Quem-Lândia se comunica. Horton me parece mais com o deus que o homem criou que ouviu por acaso o clamor do povo, mas que não tem nenhuma conexão com seu mundo e na verdade nem os enxerga. E que também estamos pouco interessados em conhecer desde que ele nos salve. A meu ver Deus é o grão de poeira onde habitam os Quem.

Na minha compreensão, Deus está para o ser humano assim como o grão de poeira está para o povo Quem. O povo de Quem-Lândia não se relaciona com o grão eles vivem dentro do grão. O grão de poeira é o ambiente onde eles encontram vida. O ambiente dentro do qual se expressam e que sustentam sua existência.

Acredito que Deus seja o grão por crer que tudo acontece dentro dele. “Nele vivemos nos movemos e existimos “(Atos 17:28).

Deus não é uma coisa que consigo pegar, nem um objeto que possa enxergar. Os Quem não vêem o grão de poeira, na verdade nem sabiam que sua realidade acontecia dentro um grão de poeira. Para ver o grão seria preciso que um cidadão Quem saísse do grão, mas como tal não sobreviveria fora dele.

Nossa existência acontece dentro de Deus. Por essa razão Deus não pode ser categorizado como um objeto ou alguma coisa com a qual nós nos relacionamos em si. Deus é experimentado por nós na maneira como nós nos relacionamos com todas as coisas.

Nós os evangélicos temos muito dos Quem. Nos relacionamos com nosso salvador acreditando que ele não pertença a nossa realidade. Cremos em uma pseudo voz que vem do além e que pertence a um ser que não sabemos como é. E que tem seu dialogo a maioria das vezes mediado por um representante.

Ninguém nunca viu a Deus por que tudo que existe acontece dentro dele, inclusive nós. Ele é o Eu sou. (Êxodo 3). Nele somos, vivemos e existimos.

"Deus não está , no céu ou onde quer que seja, e nós aqui para que fiquemos olhando para ele. O aqui está dentro de Deus e não existe um aqui e um porque o aqui fica dentro do ". (Ed René Kivitz).


Por Leonardo Pessoa

8 comentários:

Leonardo Pessoa 31 de janeiro de 2011 02:23  

Bom pessoal.

Desculpem mais na caixa de filmes só tinha a coleção do Rambo, Duro de matar, Maquina mortifera, Titanic, Filmes adulto, uma coleção do Pica pau e esse do Horton e o mundo dos Quem.

Na hora foi o que deu pra usar. rss

Mistérios, Magias ou Milagres. 1 de fevereiro de 2011 15:58  

Leonardo!!
Acredito que para alguém poder ver Deus, terá que primeiro se conhecer como se é de verdade. Deus é a essência mais pura e inesplicavel que existe e nenhum Mestre jamais conseguiu explicar. Ele habita no interior de cada ser humano em uma região sensível e especial. Acredito que ele tudo vê através das nossas janelas visuais e tudo sente através dos nossos sentimentos. Portanto, todas as manhãs ao acordar abro a janela do meu quarto e digo: Senhor!! Olhe através dos meus olhos e veja todas essas belezas que estão aqui diante de mim e através dos meus sentimentos, o Senhor poderá sentir todas as belezas que que criou. Agradeço por tudo que estou vendo e sentindo. O Senhor é meu Socio e juntos vamos compartilhar as aventuras deste dia. Grata. Amém. É assim que acredito em Deus. Um abraço carinhoso e parabens por seu blog. Amei. Heudes.

Leonardo Pessoa 2 de fevereiro de 2011 03:31  

Heudes, obrigado pelo comentário!

Como vc também creio assim.
Deus só é experimentado por nós na maneira como nós nos relacionamos com todas as coisas. Usufluindo, regozijando e agradecendo. Tudo acontece dentro dele.

Como disse o salmista .. o firmamento anuncia a obra das suas mãos..

Hermínia Nadais 7 de fevereiro de 2011 15:10  

O firmamento anuncia a obra das suas mãos... nós seremos o firmamento se, tal como enuncia no texto, vivermos nele e com Ele todos os momentos das nossas vidas, colocando nossos olhos, ouvidos, m~ºaos, pés, coração... nas Suas mãos para sermos a Sua continuação neste mundo que Ele disse que concluíssemos.
Seja feliz! obrigada pelas suas sábias palavras e entendimento.

Leonardo Pessoa 8 de fevereiro de 2011 06:52  

Dona Herminia muito obrigado por ler e pelo comentário.

Ainda sou imaturo sobre assuntos voltados a Deus, religião e etc. Percebo isso todas as vezes quando observo a profundidade dos seus textos e poemas.

keiker 24 de fevereiro de 2011 16:56  

Olha o que mais me frusta é a incerteza, mas na casa das certezas não a espaço para fé, como diz Poul Young.

Na busca pela certeza da existencia de Deus, criase uma barreira uma perca de tempo e impede que as pessaos possam ter um relacionamanto com Deus, que é por fé.

Ainda não aprendemos a ter fé, na verdade queremos certezas, para colocar Deus no paredão.

A grande verdade é que muitos se identificam com o caminho cruz, uns ficam de longe olhando, outros se sencibilizam e choram pelo sofrimento dele, uns ajudam ele ate levar a cruz, mais tem uns que vão ficar a vida todo querendo ter certeza pedidndo e dizendo pra Deus:

-- Desse da cruz pra gente crer...

keiker 24 de fevereiro de 2011 16:58  
Este comentário foi removido pelo autor.
Janice Adja 17 de fevereiro de 2012 07:38  

Não queira aprender na igreja nada sobre Deus. Deus é amor.
A igreja é apenas a casa de câmbio que usa Deus para aumentar a conta bancária.
Deus está no coração de cada ser.
Procura ser bom e isto vai ser o bastante.
Beijos!